R6: BLACK DRAGONS É PUNIDA EM CASO DE MATCHFIXING

ESL afirma que organização teve “comportamento antidesportivo”.

R6: BLACK DRAGONS É PUNIDA EM CASO DE MATCHFIXING

Rainbow Six Esports Brasil

Uma das maiores polêmicas dos esports em 2019 teve sua conclusão nesta quarta (12). Trata-se da acusação de matchfixing por parte da organização Black Dragons. A ESL, organizadora da Pro League,  divulgou uma nota de esclarecimento sobre a punição dada ao time.

Foram duas penalidades aplicadas ao time dos dragões. A primeira, com base nas regras 2.15 e 6.6.7, é referente ao time “não ter aparecido para o jogo conforme o cronograma planejado”. A segunda, de acordo com a regra 6.15.4 do livro de regras, ocorreu devido a “problemas na internet causados por ações deliberadas tomadas pelos membros da equipe”. O resultado das duas penalidades será 20% do valor do prêmio em dinheiro deduzido dos ganhos na nona temporada do campeonato.

O jogador Juninho “GdNN1” Nunes era, segundo a acusação, o principal responsável pela manipulação de resultados nas partidas, junto a Ronaldo “ion” Osawa, da FaZe Clan. Juninho ficou afastado da Black Dragons durante o período de apuração de dados, entretanto, esta semana no retorno do brasileirão o jogador participou da partida. Já no caso da FaZe a organizadora de campeonatos alegou que “não há provas concretas para confirmar a alegação de que o FaZe Clan ou seus membros estavam envolvidos na manipulação de resultados e, portanto, nenhuma ação será tomada contra a equipe.”

COMO ISSO PREJUDICA OS ESPORTS?

Sendo esta uma das situações mais alarmantes que já ocorreram no mundo do esporte eletrônico, é fato que a ocorrência é prejudicial para o desenvolvimento dos esports no Brasil e no mundo. Se casos semelhantes continuarem ocorrendo nesse meio as consequências podem ser severas e irreparáveis. Organizações não-brasileiras podem deixar de incentivar o cenário brasileiro. Grandes marcas podem deixar de investir no Brasil, entre outras consequências.