POR QUE O CRESCIMENTO DOS ESPORTS É BOM PARA OUTROS SETORES DA INDÚSTRIA?

Não são apenas os jogadores e organizações que participam dos campeonatos que devem comemorar o crescimento dos esports.

POR QUE O CRESCIMENTO DOS ESPORTS É BOM PARA OUTROS SETORES DA INDÚSTRIA?

Reprodução

Qualquer amante dos joguinhos competitivos consegue perceber com clareza a forma com que os esports crescem em todo o mundo. De acordo com a Newzoo, empresa líder no segmento de pesquisas e análises do mercado de games, os esports deveriam faturar cerca de US$ 906 milhões em 2018. Esse valor ultrapassaria a casa dos bilhões, chegando à marca de US$ 1.650.000.000 até 2021.

A mera “brincadeira de criança”, hoje faz parte do seleto grupo de indústrias bilionárias. Mas por que o crescimento do esports não é bom apenas para o esports? Quem, além dos jogadores e times, é beneficiado nessa história?

Nesse artigo vamos falar um pouco sobre diversos setores que crescem junto com o esports. Alguns, inclusive, foram criados por causa dos esports. De pessoas “desconhecidas” jogando ao vivo para audiências massivas até grandes empresas de games, todos acabam sendo beneficiados com o sucesso dos esports.

 

STREAMERS E PRODUTORES DE CONTEÚDO

Em meados de 2011, o YouTube começou a explodir de canais voltados para games. Das análises e reviews mais sérios, aos mais descontraídos gameplays comentados, a plataforma de vídeos ficou infestada de conteúdos de jogos. Hoje, o site conta com uma enorme variedade de conteúdo e, por mais que os games tenham perdido um pouco do espaço que tinham, é no esports que reinam as maiores audiências de jogos. A própria Twitch, plataforma dedica somente ao conteúdo ao vivo, teve seu papel em auxiliar no crescimento e alcance inicial dos esports. Atualmente, diversos streamers e produtores de conteúdo conseguem viver disso, tornando a atividade um mix de profissão com estilo de vida.  

229326201-preview.jpg (1920×1080)

(Gaules, um dos maiores streamers do país, durante uma transmissão ao vivo. FOTO - Twitch.tv)

 

 

SERVIÇOS DE STREAMING

Se vamos falar dos streamers, por que não citar os serviços que eles utilizam? A Twitch.tv e o YouTube, citados anteriormente, são os mais famosos, mas o crescimento dos esports fez com que outros players voltassem suas atenções para esse mercado. Hoje, já podemos encontrar outras empresas dedicadas às transmissões ao vivo, como é o caso da Nimo TV, da Cube TV e até do próprio Facebook.

Twitch-Guide.jpg (1280×720)

(Twitch.tv, mais plataforma de streaming dedicado à jogos. FOTO - Reprodução)

 

 

NARRADORES, ANALISTAS E ORGANIZADORES DE TORNEIO

O grande diferencial dos esports é que quase nunca eles são apenas uma competição de jogos. Os maiores campeonatos são verdadeiros shows, como é o caso das finais dos Mundiais de League of Legends e de Dota 2. Toda essa ansiedade por grandes espetáculos cria uma demanda muito grande por profissionais competentes trabalhando nos bastidores. Diferentemente dos streamers, esses normalmente não recebem a atenção dos holofotes, mas são essenciais para o espetáculo. Com o crescimento dos jogos competitivos, a tendência é que essa demanda só aumente.

 

CvTDhn_WAAAoUZU.jpg (1200×800)

(Toboco e Tixinha, narradores de League of Legends. FOTO - Reprodução/Twitter)

 

PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS NAS ORGANIZAÇÕES

No começo, bastava muita habilidade e disposição para se montar um time (ou os famosos “clãs”) em um jogo específico. Hoje, apesar dos jogadores ainda serem as estrelas, são necessárias diversas habilidades dentro de uma organização para que ela consiga atuar com profissionalismo. A necessidade por profissionais que possuam algum tipo de conhecimento ou especialização em esports passa a crescer cada vez mais. Psicólogos, advogados, nutricionistas e terapeutas são alguns dos exemplos que podemos citar aqui.

30416844538_ff44a78258_h.jpg (1084×723)

(Claudio Godoi, psicólogo de esports. FOTO - Riot Games)

 

EMPRESAS DE TECNOLOGIA

Os jogos eletrônicos são mais que um esporte, é um estilo de vida. Existem empresas de tecnologia que estão há anos no mercado, como é o caso da Razer. Já outras, como a Fallen Store, acabaram de chegar no mercado. Sejam elas novas ou velhas, empresas de tecnologia que fornecem equipamentos e serviços que otimizem, aperfeiçoem – ou apenas deixe seu setup mais bonito – tendem a crescer bastante com o sucesso dos esports.

razer-nommo-og-1200x630.jpg (728×385)

(Periféricos Razer. FOTO - Reprodução)

 

DESENVOLVEDORAS DE GAMES

Há algum tempo que a indústria de games fatura mais que a do cinema e da música somadas. Mas isso não significa que eles estão acomodados. Muitas desenvolvedoras estão começando a dar mais relevância para os cenários competitivos de seus próprios jogos. Todd Sitrin, responsável pela divisão de esports da EA Games, recentemente disse, em entrevista ao site Gamesindustry, que a desenvolvedora pretende colocar o Fifa no top 3 das esports mundias, mesmo ele sendo o jogo que mais vende cópias ao longo do ano. Já Michael Pachter, analista do mercado de games, aponta que a Blizzard/Activision pode tomar uma decisão drástica esse ano em prol do esports: tornar seus jogos Overwatch e Call of Duty: Black Ops 4 (modo Blackout) gratuitos.

nmltfvou7qeabkizh14i.jpg (768×432)

(MsDossary, campeão do Fifa eWorld Cup 2018. FOTO - Fifa)

 

MERCADO DE APOSTAS ESPORTIVAS

O último item da nossa lista pode ser um pouco peculiar. Em dezembro do ano passado, o Governo Federal promulgou a lei que cria a modalidade de apostas por quota fixa em apostas esportivas no país, conforme informado pelo porta Joga Brasil. Com a popularização das apostas esportivas, o Brasil pode seguir a tendência de outros países da Europa e América do Norte, que possuem diversas opções de apostas em esports, sendo um mercado que movimenta milhões todos os anos.

mibr.jpg (1920×1080)

(Betway, site de apostas esportivas, é um dos principais patrocinadores da tradicional equipe brasileira de esports MiBR. FOTO - Reprodução)

 

Não restam dúvidas que o sucesso do esports impacta, direta e indiretamente, em diversos outros setores da economia. Por mais que o setor já possa ser considerado uma indústria bilionária, todo o universo que gira em torno do esports ainda é muito novo. Além das áreas citadas aqui, diversas outras podem surgir nos próximos anos. Não se enganem, é apenas o começo.