Escreva o que pretende procurar e pressione ENTER para iniciar a sua pesquisa!

eSports-logo-250x250
live-news-icon

Live News

COMO ANDA O DOTA PRO CIRCUIT 2019?

Imagem de: Reprodução

COMO ANDA O DOTA PRO CIRCUIT 2019?

Faltando apenas 4 eventos oficiais do circuito, vagas para o próximo The International começam a ser definidas.

O Dota Pro Circuit (DPC) 2018/2019 está entrando em sua fase final, e com isso já temos noção de quais serão os times classificados para o The International 2019 (ou TI9, para os íntimos), que será sediado em Xangai, China.

Para quem não entende como funciona o circuito, aí vai uma breve explicação: São 10 torneios espalhados entre outubro de 2018 e junho de 2019, sendo cinco Minors e cinco Majors. Um Major acontece sempre após um Minor, significando que os eventos ocorrem em pares.

Para participar desses torneios, os times precisam enfrentar qualificatórias regionais, que são divididas em duas partes: qualificatórias abertas e fechadas. As qualificatórias abertas são sempre acessíveis a qualquer time, e os vencedores avançam para as qualificatórias fechadas. Essa segunda parte é uma mistura entre equipes convidadas (normalmente equipes que tem obtido bons resultados em torneios anteriores) e as vencedoras das qualificatórias abertas. Os vencedores das qualificatórias fechadas avançam para o evento principal do torneio em questão, e o número de participantes é definido de acordo com a região/importância do evento, sendo:

  • Minors - duas vagas para a América do Norte, uma vaga para a América do Sul, duas vagas para a Europa Oeste, uma vaga para a Europa Leste (CIS), uma vaga para a China e a última vaga para o Sudeste Asiático.

  • Majors - três vagas para a América do Norte, duas vagas para a América do Sul, três vagas para a Europa Oeste, duas vagas para a Europa Leste (CIS), três vagas para a China, duas vagas para o Sudeste Asiático e a última vaga para o vencedor do Minor anterior.

A premiação total de um Minor é sempre de US$ 300 mil, enquanto a premiação total dos Majors é sempre de 1.000.000 de dólares, onde o vencedor de cada etapa leva a maior parte da grana (US$ 500 mil). Além da premiação em dinheiro, são também distribuídos DPC points, e esses pontos determinam as equipes que se classificarão para o grande campeonato mundial do ano, que ocorre sempre em agosto. Minors distribuem um total de 500 pontos, enquanto Majors distribuem 15.000 pontos. As 12 equipes com o maior número de pontos ao final do DPC são classificadas para o TI, enquanto as outras equipes precisam enfrentar as qualificatórias regionais para o mundial, completando um total de 18 times na competição.

COMO ANDA A CLASSIFICAÇÃO DESTE ANO

Com três Majors já finalizados e dois por vir, o DPC segue com mais das metades das vagas em aberto. Atualmente temos quatro equipes já garantidas no TI9 através de pontuação, sendo elas:

  1. Virtus.pro - 10.950 pontos (1º lugar no Kuala Lumpur Major, 2º lugar no Chongqing Major e na DreamLeague Season 11 Major);
  2. Team Secret - 9.300 pontos (1º lugar no Chongqing Major, 2º lugar no Kuala Lumpur Major, 4º Lugar na DreamLeague Season 11 Major);
  3. Vici Gaming - 5.850 pontos (5-8º lugar no Kuala Lumpur Major, 5-8 lugar no Chongqing Major, 1º lugar no StarLadder ImbaTV Minor e 1º lugar na DreamLeague Season 11 Major);
  4. Evil Geniuses - 4.650 pontos (3º lugar no Kuala Lumpur Major e Chongqing Major, 5-8º lugar na DreamLeague Season 11 Major).

Lembrando que a equipe Chaos Esports Club, que possui três jogadores brasileiros em seu plantel, está atualmente na 13ª colocação da tabela, uma posição abaixo da zona de classificação pra o The International. Porém, com a recente classificação para o MDL Disneyland Paris Major, que acontece em maio, eles tem a chance de carimbar definitivamente seus passaportes rumi a Xangai.

O Major da Disney será especialmente importante para os brasileiros, pois teremos mais uma equipe representando o país na competição. Além da Chaos, a Butterfly Effect, time comandado por Rodrigo "Lelis" Santos e Adriano "4dr" Machado, conseguiu se classificar após vencer a upper bracket do qualifier sul-americano. Logo após a conquista, a paiN Gaming anunciou a aquisição da line up da Butterfly, marcando seu retornou ao cenário competitivo de Dota 2 (a equipe estava sem representantes no game desde que Danylo "Kingrd" Nascimento e cia. optaram por sair da organização e assinar com a Chaos).

Essa será a segunda vez que que teremos duas equipes com representantes brasileiros nessa temporada do DPC. A outra ocasião foi durante o Kuala Lumpur Major, quando a própria equipe da paiN participou do evento com duas line ups inscritas: paiN Gaming (equipe principal) e paiN X (equipe formada por um mix americano que contava com 4drLelis).

Como essa será a estreia da nova line up da paiN, a equipe entra sem pontos somados na tabela de classificação geral (mesmo tendo jogado outros eventos do circuito nesta temporada, os pontos são atrelados aos jogadores e não à organização). Por mais que seja uma árdua missão, caso a equipe tenha um desempenho excelente nos próximos eventos do DPC, ela ainda tem chances de classificação direta para o tão sonhado The International

Eulerson Pedro é colunista do eSports Brasil, acompanhe-o no Instagram.

Revisão: Diogo Oliveira.

Notícias Relacionadas

LOL: CONFIRA OS RESULTADOS DAS RODADAS DA SUPERLIGA 2019
Dota 2 Teve WO, atropelo e muito mais na Superliga!

Primeiros dias de competição aproveitaram o feriado para adiantar os confrontos

Jogadores da Storm comemorando
Dota 2 OS STORMS ACABARAM COM A MINERVA MAIS UMA VEZ!

Final do UNILOL foi emocionante, mas deu novamente a Falkol Storm, time da UFABC, de São Paulo

Logo do desafio universitário UNILOL
Dota 2 MINERVA E STORM CONTINUAM DOMINANTES!

Na semifinal do desafio universitário de LOL no Brasil, mais uma vez Minerva e Storm ganharam seus jogos

Instagram

última imagem publicada no instagram por eSportsBR