BOOSTING PASSA A SER CONSIDERADO CRIME E PODE RESULTAR EM PRISÃO NA COREIA DO SUL

Prática de pagar alguém para subir o ranking nos jogos competitivos agora poder resultar em cadeia para os envolvidos.

BOOSTING PASSA A SER CONSIDERADO CRIME E PODE RESULTAR EM PRISÃO NA COREIA DO SUL

eSportsBR

Se você mora na Coreia do Sul e está pensando em contratar alguém para fazer boosting no seu ranking dos jogos competitivos, é melhor pensar duas vezes: a partir de 2019 a prática pode resultar em prisão. O projeto é uma emenda da Lei de Promoção da Indústria de Jogos do país. Além da prisão, a emenda diz que os envolvidos devem pagar multa de R$ 70 mil, caso seja comprovada culpa.

Tal prática já é passível de punição pelas desenvolvedoras de cada jogo, mas não é uma tarefa fácil de se identificar. O governo espera que a nova sanção ajude a inibir a prática no país. A lei deve entrar em vigor no praso de seis meses. 

Não é a primeira vez que a Coreia do Sul demonstra estar a frente do restante do mundo quando o assunto é levar os esportes eletrônicos a sério. Além de ser casa dos melhores jogadores do mundo em diversas modalidades, o país foi o primeiro a instituir canais de televisão 100% dedicados à esports, lá no começo dos anos 2000, quando não era possível nem sonhar com o sucesso que a modalidade tem hoje. 

Mesmo sendo algo proibido pelas desenvolvedoras, é muito fácil encontrar o serviço de boosting à venda na internet. No MercadoLivre, maior site de vendas online do Brasil, encontramos usuários oferencendo o serviço em todos os jogos (que possuem ranking) sem nenhum receio. Vale frisar que, além de ser contra as políticas dos games competitivos, a compra de boost ainda é perigosa, podendo fazer com que o comprador perca tanto o dinheiro "investido", quanto sua conta no jogo.