Escreva o que pretende procurar e pressione ENTER para iniciar a sua pesquisa!

eSports-logo-250x250
live-news-icon

Live News

"ACHO QUE SOU MAIS O 'S1MPLE BRASILEIRO', PELO ESTILO DE JOGO", AFIRMA V$M AO SER COMPARADO COM COLD
CS

"ACHO QUE SOU MAIS O 'S1MPLE BRASILEIRO', PELO ESTILO DE JOGO", AFIRMA V$M AO SER COMPARADO COM COLD

Fizemos uma entrevista exclusiva com o capitão e a estrela da Detona Gaming...

O Centro de Convenções Ulysses Guimarães foi o centro das atenções em Brasília, com a realização da Gamecon 2018, evento 100% voltado a esports. A Gamecon Open CS:Go foi um dos campeonatos presentes no evento, contando com a presença das melhores equipes de Counter Strike do cenário brasileiro.

Tivemos a oportunidade de fazer uma entrevista exclusiva com o capitão e com a estrela da Detona Gaming. Gustavo “Guto22” Arnoldi e Vinicius “v$m” Moreira nos contaram um pouco a respeito do atual momento da equipe e das projeções para o futuro.

Recentemente pequenas mudanças transformaram o meta do CSGO. A adição da MP5, nova economia, buffs e nerfs influenciam muito nos times. “Eu acho que essas mudanças, da MP5 entrar, de se você perder o pistol ganhar mais dinheiro do que antes, ajuda bastante o CS. Assim como qualquer outro jogo, muda conforme o tempo por que você traz novos desafios para os times, eles têm que se adaptar”. – Afirmou Guto. “Essa mudança é muito importante para o cenário, eu acho que tem que haver novas no futuro, pra que os times não fiquem estagnados, pra que eles sempre se atualizem e tragam coisas novas. A entrada da Dust 2 e a saída da Cobblestone é um pouco disso também, essa troca de mapas é sempre muito boa, por que você chega um momento que os times já sabem todas táticas, todas as granadas, tudo dos mapas. Então isso é muito legal porque faz os times trabalharem, e o time que se prepara mais rápido chega num torneio com um mapa novo que os outros não tem. – Completou.

A Detona foi o time um com uma grande ascensão no cenário brasileiro, saindo de campeonatos amadores à Liga Profissional da Gamers Club. Considerando os resultados em torneios deste ano, Guto apontou os principais objetivos para 2019. “A gente quer primeiro se estabelecer como melhor time do Brasil. Queremos primeiro ganhar todos os torneios no Brasil durante quatro ou cinco meses, ganhar todos esses torneios de fora como a GAMECON, como foi a PLG. A gente quer primeiro se estabelecer no Brasil, ser o melhor time, pra daí então ir pra fora e começar a treinar contra os melhores do mundo. Por que só assim a gente vai conseguir atingir um nível de Tier 1 do mundo”.

O IGL da Detona informou também qual o time é considerado como grande desafio para a equipe. “De todos os times que a gente já jogou contra aqui no Brasil, a W7M é o time que mais dá trabalho pra gente. Por causa do estilo de jogo deles, eles têm um estilo de jogo diferente dos outros que afeta bastante o nosso jogo. Quando a gente joga contra eles é sempre muito difícil, principalmente o lado contra terrorista deles, eles têm um lado CT muito dinâmico que muda bastante. O raafa (Rafael Lima), que é o AWPer, uma hora ele tá em um lugar outra hora ele tá em outro e a gente não consegue muito ter uma leitura de onde ele vai tá, e ele joga muito bem, então ele dificulta bastante o nosso jogo”.

Este ano a Detona Gaming acabou perdendo a final do qualificatório do PLG Gram Slam com derrota para o Sharks Esports. “No qualificatório da PLG acho que faltou um pouco mais de calma pro nosso time, a gente estava com o jogo praticamente ganho. A gente ganhou o primeiro mapa de 16 a 6 na Inferno, abrimos uma vantagem de 5 a 0 de TR na Train e a gente não conseguiu fechar essa partida. Acho que a parte da experiência do time da Sharks foi superior ao nosso time. Por que se a gente tivesse a calma e a cabeça no lugar pra jogar essa final como o nosso time sempre joga a gente teria levado o jogo. O nervosismo de tá disputando uma vaga pra um campeonato internacional em abu Dhabi, algo muito grande que a gente nunca tinha passado, aí eu acho que a gente deixou escapar. Nosso time é mais novo, a gente não tem muita experiencia em LAN (jogo presencial), então eu acho que nesse momento a pressão afeta um pouco”. – Explicação de Guto.

O jogador v$m é um dos destaques da equipe. Conhecido por suas jogadas impressionantes, o jovem atleta ganhou fama logo cedo. “Ele foi a nossa arma secreta durante a primeira semana. Logo depois da primeira semana ele já chamou atenção do cenário inteiro. Todo mundo sabe que ele é muito bom, todo mundo sabe mais ou menos o estilo de jogo dele e mesmo assim não conseguem parar essa maquina de matar. Então eu digo que é uma arma muito potente que meu time tem, mas o hardzao (Wesley Lopes) é outra, o “piru” (Matheus “prt” Scuvero) é outra e eu só guio essas maquinas, eu sou a cabeça do time. Eu pego as maquinas e aponto elas pro lugar certo”. – Afirmou o jogador sobre o companheiro de equipe.

As finais da GAMECON Open foram a primeira experiência do time em um campeonato presencial. Os jogadores da Detona descreveram as diferenças entre a LAN e jogar em casa. “É diferente porque quando você tá jogando numa LAN, se você já tem uma experiencia você sabe aproveitar os momentos de barulho, quando a torcida bate aquele bastão, quando a torcida grita o áudio abre um pouco e você não consegue ouvir o jogo. Então quando você tem mais experiencia na LAN você utiliza esse momento pra sair correndo, pra fazer um barulho que eles não ouvem, o destinyy (Lucas Bullo, jogador do Team Wild) usou isso a favor dele pra caramba, em vários rounds ele corria em momentos que não dava pra ouvir”.

Além de v$m, outros jogadores do cenário também se destacaram este ano. De acordo com Vinicius, ele não é o melhor jogador no momento “Melhor jogador brasileiro não. O melhor jogador pra mim é o destinyy, por ter mais experiência. Para mim, ele é o melhor do Brasil. Em segundo o pancc (Filipe Martins, jogador da W7M Gaming), e o terceiro lugar eu to disputando com alguém, só não sei quem ainda”. O jogador ainda comparou seu estilo de jogo com grandes nomes do Counter Strike internacional. “Eu acho que sou mais o ‘s1mple brasileiro’, por ser mais agressivo, o s1mple já vai mais na mira, o meu estilo de jogo é mais parecido com o dele”.

A campeã da GAMECON Open CSGO foi a Team Wild, após a final contra a Isurus Gaming. Além da Detona, entrevistamos também as meninas do Bar Sem Lona antes da grande final contra o Time Das Lindas.

Faz login para poderes escrever ou responder a um comentário.

Notícias Relacionadas

DETONA durante a ESL Pro League S9
CS MAIS UMA VAGA BRASILEIRA CARIMBADA!

Equipes brasileiras vencem seus últimos jogos. Enquanto os tubarões garantiram a vaga direta, pitbulls têm mais uma chance de carimbar o passaporte para Odense

Tiburcio jogando as finais da ESL Pro League Season 9
CS DETONA SE REABILITA E SHARKS GARANTE CLASSIFICAÇÃO

Os pitbulls se recuperaram da derrota na estreia. Já os tubarões venceram mais uma e garantiram a presença nas finais, em Odense

FURIA fora da terceira semana da ECS
CS FURIA É ELIMINADA PELA C9

Brasileiros sofrem ‘apagão’ no último mapa da MD3 e Cloud9 aproveita chance para derrotá-los

Instagram

Top Players

coldzera

coldzera

Mibr -

4014

Kills

598

Assists

3001

Deaths

1.5

KDA

Name & Team

KDA

W%

s1mple

s1mple

Natus Vincere - UKR

1.5

49

Magisk

Magisk

Astralis - DNK

1.4

67

twistzz

twistzz

Team Liquid - NLD

1.4

64

electronic

electronic

Natus Vincere - UKR

1.4

56