"A GENTE PRECISA GANHAR PELO MENOS UM QUALIFY DO MINOR AQUI NA AMÉRICA DO SUL" DIZ PANCC SOBRE PLANEJAMENTO DE 2019 DA W7M

Entrevistamos o jogador revelação do cenário brasileiro de Counter Strike

"A GENTE PRECISA GANHAR PELO MENOS UM QUALIFY DO MINOR AQUI NA AMÉRICA DO SUL" DIZ PANCC SOBRE PLANEJAMENTO DE 2019 DA W7M

eSportsBR

A GAMECON 2018 contou com diversas atrações em Brasília. Dentre elas, a GAMECON Open CSGO, campeonato que contou com as melhores equipes do cenário brasileiro. Tivemos a oportunidade de conversar com Filipe “pancc” Martins, estrela da W7M e uma das grandes revelações do ano no CS:Go brasileiro.

A W7M chegou a GAMECON pouco tempo após dois confrontos com a Team Wild, um na BGC 2018, de onde saiu vitoriosa, e outro na Gamers Club Masters, onde amargou uma derrota na final. Pancc opinou sobre o porquê dos resultados diferentes contra a mesma equipe. “Nossa map pool de MD5 é melhor do que a deles em comparação com a MD3. A final da GC Masters era MD3, a pool é vantajosa pra eles em três mapas. Eles são muito bons, mas acredito que se fosse uma MD5 a gente podia ter levado o título”.  – Afirmou.

Conversamos com o jogador sobre as mudanças no meta do game, e como isso pode afetar a W7M. “Eu achei interessantíssimo esses buffs e mudanças (adição da MP5, nova economia e etc), a mudança em relação a economia foi essencial. Gostei muito, tá mais fácil de você controlar a economia, o jogo tá mais dinâmico por causa disso e as pistolas muitas vezes elas são mais fortes que os próprios rifles, dependendo da ocasião. Nas mudanças que a Valve fez, nerfaram a CZ, diminuíram o dano e o recoil, mas eles não mudaram nada na five-seven, então ela continua com o dano antigo, dando mais dano que a CZ, então eu ainda acho as pistolas desbalanceadas”.

A W7M se encontra entre as cinco melhores equipes do cenário brasileiro atual. Durante a entrevista, perguntamos ao jogador qual equipe ele considera como a grande rival. “Time mais difícil de jogar no nosso cenário sem dúvidas é a Isurus. Por quê todos os jogadores são muito bons, todos sabem sua posição certa e o que eles precisam fazer, o coach deles também é muito bom, ele sempre monta um plano de jogo diferente pra cada time que eles jogam contra. Contra nós eles jogam de um jeito, contra a Wild jogam de outro, então isso torna eles muito difíceis de serem lidos, eu acho que é o time mais complicado de se jogar contra”.

Filipe também destacou os campeonatos mais visados pela equipe para o ano de 2019. “O título que a gente mais almeja ano que vem.... é difícil falar assim por quê durante o ano sempre vão surgindo os campeonatos e a gente não sabe com antecedência. Mas a gente pretende ganhar a GC Masters, que a gente sabe que vai ter, e a gente precisa ser campeão, e ganhar pelo menos um qualify do Minor aqui na américa do sul pra representar o Brasil lá fora".

A GAMECON Open ocorreu no Centro de convenções Ulysses Guimarães com as equipes: W7M Gaming, Detona Gaming, Team Wild e Isurus Gaming. A W7M foi eliminada na semifinal, perdendo o jogo para a Isurus Gaming.